O que é e como funciona uma Startup

A palavra Startup tem ficado cada vez mais comum nos últimos anos. E existem uma noção de que uma Startup está estritamente ligada à tecnologia, informática, inteligência artificial e empreendedorismo.

Mas na verdade, uma Startup pode não necessariamente abarcar o universo tecnológico e computadorizado, por assim dizer. Ela pode se utilizar dele, sim, mas pode também estar ligado a outros tipos de tecnologias.

E todas têm em comum uma coisa: incerteza e forte planejamento. Exato, elas propõe soluções para problemas cotidianos sejam eles grandes, pequenos, que atingem milhões de pessoas ou grupos menores em determinados territórios.

Mas buscam uma solução inovadora em um contexto de incertezas do tipo: será que o negócio vai dar certo? Será que as pessoas vão realmente aderir ao produto que estamos criando?

Tudo isso é intensificado por falta de um modelo de negócio. Há nas Startups uma noção de pioneirismo, já que ela está se tornando o case para outros negócios que queiram seguir o seu filão de mercado.

Essas e várias outras questões estão no cotidiano de uma Startup, mas o planejamento é anterior a tudo isso e segue mesmo após a finalização do produto.

E quando finalmente ela atinge a maturidade, pode até continuar com o status de Startup, mas que percebemos é que ela se torna uma empresa – usualmente consolidada no mercado ou em vias de consolidação.

O que diferencia uma Startup de uma empresa?

O primeiro ponto é a viabilidade do negócio. Em geral, Startups possuem modelos de negócio inovadores e com pouca ou nenhuma referência de outras empresas ou modelos que deram certo.

Pioneiras em um determinado mercado ou no uso de determinada tecnologia. Ou de outra forma: não terem comprovação clara de sucesso.

A partir do momento em que adquirem força no mercado e se consolidam passam a ser empresas consolidadas. A incerteza, criatividade e a inovação são pilares básicos desse modelo incerto de negócio.

Não à toa eles precisam de muito planejamento e estarem o tempo todo revendo esse guia de ações para aumentarem as chances de sucesso e terem uma noção clara de para onde vão e como querem atingir o objetivo.

Startups e empresas precisam de planejamentos, planos de negócio, sócios, funcionários e pessoas motivadas. Mas uma diferença clara está na abordagem e principalmente em duas especificidades características de Startups.

A primeira é a escalabilidade. Seja o que for, o produto que a Startup quer fornecer precisa ser escalável e ter um custo de produção que seja baixo.

Portanto, produz muito a um custo muito baixo para ganhar dinheiro rápido e aumentar a receita, sem onerar a folha na mesma proporção.

Já a segunda é replicabilidade. O produto precisa ser replicado de forma fiel a todos os outros, para todos os clientes. Sem distinção e  criando um processo de produção uniforme e que economiza custos.

Como saber se minha ideia pode virar uma Startup?

Se você já tem uma ideia, uma parte do caminho já foi. Mas o ideal é que você valide essa ideia.

A estude, veja se ela realmente é boa, se existe demanda que precise da solução que você propõe. E conheça também o problema que ela pretende solucionar.

A ideia é importante, mas ao avaliar o problema você pode ter insights que aumentem a viabilidade da sua ideia e a sua eficácia.

O público precisa ser bem definido, seu perfil social, cultural e econômico precisa ser analisado desde o primeiro momento.

Isto vai dar indícios da viabilidade econômica que a solução que você propõe possui e ainda dar subsídios para pensar em como aumentá-la.

Mas vamos a alguns passos que podem te ajudar muito:

Coloque sua ideia em cheque

Se questione. Questione sua ideia. É preciso que ela tenha sido pesada com todos os prós e contras possíveis.

Afinal, você precisa vender essa ideia e defender que ela é necessária, viável e uma solução pertinente.

Portanto todos os questionamentos precisam encontrar respostas satisfatórias – em especial quando for buscar financiamento para produzir.

Esteja aberto a sugestões e outras opiniões

Você não vai criar e conduzir uma Startup sozinho. É a multiplicidade de saberes e um time que te auxilie e compre a briga junto com você que vai fazer o seu negócio avançar e chegar em uma solução de sucesso.

Portanto valide sua ideia com outras visões, ter um outro olhar e uma segunda opinião pode ajudar e muito a chegar a um nível de excelência ainda maior.

Viabilidade econômica

Se o mercado não tem necessidade ou a ideia não tem consumidores suficientes para garantir um rendimento que valha o investimento e gere lucro, a ideia precisa ser revista.

Afinal de contas, a proposta é que a Startup se torne uma empresa e para isso é necessário que gere renda. 

Crie um case

Crie um primeiro produto ou aplique ao menos uma vez a sua solução para ter um case da sua ideia e conseguir demonstrar o impacto, custos e dar mostras a possíveis investidores e  financiadores que a sua ideia funciona. Se for caro, busque financiadores ou investidores que topem o seu negócio.

Características da gestão e financiamento de Startups

Muitas ideias inovadoras surgem todos os dias, mas para tirá-las do papel existem custos.

Seja com equipamento, capacitação, para pagar colaboradores, a conta de telefone, o almoço e muitas outras despesas do projeto e da vida de quem trabalha para dar vida à essa ideia.

E existem algumas possibilidades de conseguir desenvolver essa ideia.

Entre as principais estão o autofinanciamento, também chamado de Bootstrapping, o investimento anjo e o financiamento coletivo:

Autofinanciamento e Bootstrapping

 Você pode ter o dinheiro e investir na sua ideia. Essa é uma possibilidade que torna tudo mais fácil. Afinal, buscar investidores e financiadores para a sua ideia pode ser muito aterrorizante e  até mesmo te impedir de seguir no desenvolvimento da sua ideia.

Investidor Anjo

Às vezes a ideia é boa, mas falta alguém que confie que as coisas vão dar certo e se possível que te dê um empurrão. E o investidor anjo é justamente isso.

Algumas pessoas optam por realizar investimentos em empreendimentos. De certa forma, ele compra uma parte da Startup, normalmente uma parte pequena e a partir disso a você e sua equipe tem um capital inicial para começar a operar.

Mas só o dinheiro é insuficiente, o que torna o investidor anjo uma coisa incrível é a sua participação. Eles são conhecidos por ajudarem os negócios que investem com mentorias, aconselhando, agregando a sua experiência e fortalecendo o networking a partir dos seus próprios contatos.

É importante ressaltar que o investidor anjo tem interesses econômicos e é natural que ele vá ajudar a alavancar o negócio para ter o seu retorno financeiro.

Financiamento coletivo

Essa modalidade é uma forma de também divulgar o seu projeto. Você lança o seu crowdfunding em algum site de sua confiança e preferência e então passa a divulgar para que pessoas que se interessem na solução que você apresenta doem algum dinheiro voluntariamente.

Mas nesse caso específico, existem diversas estratégias que você pode utilizar para aumentar o número de doações como brindes, descontos e experiências que sejam  possíveis de serem ofertadas.

Conclusão

As mudanças que a sociedade tem demandado estão fazendo com que empreendedores surjam e criem negócios novos e que muitas vezes não possuem precedentes, mas que apresentam soluções práticas e muito importantes para diversas pessoas.

As Startups são empresas jovens e com modelos diversos que muitas vezes só funcionam em ambientes com aquela cultura empreendedora e focada em gerar grandes transformações. E ainda tem espaço para muita gente, se você quer criar uma, a hora de começar é agora.

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *